Inscrições para o Prêmio ECOERA 2016 já estão abertas!

Moda

Criado pela consultora Chiara Gadaleta, o Prêmio nasceu com o objetivo de chamar a atenção do mercado de moda e beleza e design para as práticas conscientes em toda a cadeia produtiva e criar uma fotografia da indústria da moda, da beleza e do design no Brasil, com indicadores de sustentabilidade.

Baseado em 4 pilares, as empresas inscritas são analisadas no que diz respeito a sua atuação e impacto no meio ambiente, na comunidade, nos trabalhadores e na governança.

Com a metodologia do Sistema B, movimento global que certificou mais de 1800 empresas até hoje e atua em mais de 50 países, o Prêmio ECOERA tem como missão promover empresas conscientes e multiplicar essas práticas por toda a indústria.

As categorias:

O Prêmio ECOERA é dividido em três categorias: PLANETA para as empresas que se destacaram na pontuação relacionada as práticas ambientais, PESSOAS, na pontuação referente a relação com trabalhadores e comunidades locais e a ECOERA, englobando as duas ultimas, sendo o prêmio de maior importância e com resultados de pontuação maiores. Em cada uma delas serão premiadas pequenas, até 49 funcionários; médias, até 249 funcionários e grandes empresas, acima de 250 funcionários.

 

O Prêmio 2015: a primeira edição

A primeira edição do Prêmio ECOERA representou um momento importantíssimo nos mercados de moda e beleza no Brasil onde , pela primeira vez , personalidades, acadêmicos, Imprensa e empresários se reuniram para falar sobre as questões sociais e ambientais.

Com mais de 80 empresas inscritas, os finalistas da primeira edição do Prêmio foram, na categoria PLANETA com até 49 funcionários: ETNO Botânica ( empresa de tingimento ecológico), Aurora Moda Gentil ( acessórios) , Terra da Garoa ( moda ), Bioart (maquiagens e cosméticos ), Flavia Aranha ( moda) ; e com mais de 49 funcionários, Grupo Lunelli ( têxtil e confecções) , Dudalina S.A. (moda) e Reserva (moda)

Na categoria PESSOAS com até 49 funcionários, Insecta Shoes ( calçados), Bazar da Praça ( e-commerce e Market place) , Lokalwear ( bijus) e Catarina Mina ( acessórios) ; e com mais de 49 funcionários, Dudalina S.A., Grupo Lunelli e Reserva.

Na categoria Prêmio ECOERA com até 49 funcionários, Etno Botânica ( empresa de tingimento ecológico) , Feitiços Aromáticos (cosméticos) , Bioart ( maquiagens e cosméticos) , Insecta Shoes, Catarina Mina e Bazar da Praça; e com mais de 49 funcionários , Dudalina S.A., Grupo Lunelli e Reserva.

Além das seis premiações por pontuação, o Conselho homenageou empreendedores e projetos sociais de relevância para os mercados de moda e beleza.

A cerimônia de premiação aconteceu no Centro Universitário Belas Artes e contou com a participação de profissionais renomados como Fafá de Belém, Daniela Falcão, Costanza Pascolato, Alex Atala, Lilian Pacce dentre outros.

Os grandes vencedores de 2015 foram na categoria PLANETA , a ETNO Botânica e a Lunelli, na categoria PESSOAS, a Catarina Mina e a Reserva e na categoria Prêmio ECOERA , a Insecta Shoes e a Dudalina.

 

O Prêmio 2016

As inscrições para o Prêmio ECOERA 2016, que no ano passado abriu espaço apenas para empresas dos setores de MODA e BELEZA, este ano inclui também empresas ligadas ao DESIGN, DÉCOR E ARQUITETURA.

“ Tanto os designers como a indústria do mobiliário, acessórios, revestimentos e acabamentos para a casa devem estar atentos à sustentabilidade, visando minimizar produção de resíduos e poluentes em toda a cadeia criativa-produtiva-comercial. Desde o desenho da peça até a sua aplicação no imóvel e sua utilização pelo consumidor final. A integração social também mostra-se fundamental em todas as fases do processo. O mundo está em crise e todos devemos fazer nossa parte. A Casa Vogue abraçou a causa e levanta esta bandeira” , afirma Taissa Buescu, diretora de redação da CASA VOGUE

Para essa nova etapa, poderão se inscrever empresas  de serviço como escritórios de arquitetura e empresas de manufatura de produtos de decoração e arquitetura.

A cerimônia de premiação com apoio da VOGUE e da CASA VOGUE acontecerá no mês de novembro no Centro Universitário Belas Artes.

A identidade visual do Prêmio tem assinatura da Agencia CARME e apoio da ZABB Comunição.

 

As inscrições

As inscrições são feitas pelo http://premio2016.ecoera.com.br

Screen Shot 2016-07-21 at 10.57.17 AM

 

O Conselho

O Premio ECORA já nasceu com um conselho composto por pessoas de diferentes áreas, que representam os temas centrais: meio ambiente, terceiro setor , indústria da moda, beleza e profissionais do mercado de design referencias nos nichos de decoração e arquitetura.

O papel deste time de profissionais é de analisar os resultados dentro dos parâmetros indicados pelo Sistema B.

São eles: Alvaro Almeida, organizador do Sustainable Brands Rio; Carolina Nogueira Learth, diretora de sustentabilidade do Santander ; Daniela Falcão, diretora editorial das Edições Globo Conde Nast , Jeff Ares da Carta Editorial, Luiza de Figueiredo P. Lorenzetti da ABIT; Marcia Hirota , diretora do SOS Mata Atlântica, Patricia Cardim diretora geral do Centro Universitário Belas Artes de São Paulo; Paulina Chamorro , jornalista especializada em meio ambiente; Renata Meirelles da Abest , Silvia Rogar, editora de Redação da Vogue Brasil, Taissa Buescu, diretora de redação da CASA VOGUE e Thiago Cavalli da Casa do Rio.

 

Sobre o Sistema B

Para o processo de avaliação das empresas, o Prêmio conta com o apoio do Sistema B, que aplicará sua ferramenta, apoiada em métricas e indicadores, para a análise dos resultados de impacto sócio ambientais das empresas participantes.

O Sistema B, atua como articulador de um ecossistema que pretende ativar diferentes setores da economia. Investidores, grandes compradores, formadores de opinião, políticos e legisladores, reunidos para a criação e o desenvolvimento de um novo tipo de empresa.

As Empresas B associam a geração de lucro à soluções para problemas sociais e ambientais. A iniciativa foi criada há sete anos nos Estados Unidos e atualmente conta com uma comunidade de mais de 1812 empresas, em 50 países, em 130 indústrias.

São empresas que estão redefinindo o conceito de sucesso nos negócios e criando uma nova identidade de Mercado. Para tanto, cumprem altos padrões de performance e são avaliadas através de um processo de certificação. A avaliação de impacto, ou B Impact Assessement, analisa cinco principais áreas: Modelo de Negócios, Comunidade, Meio Ambiente, Governança e Funcionários.

As Empresas B, 60 no Brasil, operam com elevados padrões sociais, ambientais e de transparência, além de se comprometerem legalmente a tomar decisões maximizando o valor para todos os seus públicos de interesse.

 

Sobre o ECOERA

O Movimento EcoEra foi criado em 2008 pela consultora de moda especialista em sustentabilidade, Chiara Gadaleta Klajmic. Desde a sua criação o principal desafio foi integrar o mercado de moda e beleza às questões sociais e ambientais por meio de um conjunto de atividades, práticas e ações que aproximassem toda a cadeia produtiva de moda à sustentabilidade ambiental, social, econômica e cultural.

 

Esse esforço ajudou o mercado de moda a quebrar paradigmas e a inaugurar um novo capítulo em sua história, onde toda a cadeia – indústria, marcas, estilistas e público final – se unem para criar uma moda mais consciente, em que ética e estética possam andar lado a lado. “Buscamos, por meio de trabalhos de campo e pesquisas, encontrar alternativas e mostrar ao público que a moda pode ser uma excelente plataforma para disseminar informações. Acreditamos que o mercado de moda possa se tornar agente de transformação social e ambiental” , afirma Chiara.

 

 

MAIS INFOMAÇÕES:

 

Facebook : Eco Era

Instagram : @ecoera

 

Apoios:

Parceria Criativa :

Tags: .

SHARE